/ governosp
Inspirações e práticas para a construção de políticas públicas de leitura marcam conversa sobre Planos Municipais do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca - Biblioteca Viva
 

Blog

Inspirações e práticas para a construção de políticas públicas de leitura marcam conversa sobre Planos Municipais do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca

Três municípios brasileiros: Juína (MT), São Luís (MA) e São Paulo (SP) têm algo em comum e muito a dizer: resistência e êxito na implementação e condução de seus Planos Municipais do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca. Estas experiências bem-sucedidas foram compartilhadas nesta quarta, 4 de agosto, durante o 12º Seminário Internacional Biblioteca Viva. Participantes de todo o Brasil tiveram a oportunidade de aprender e, principalmente, celebrar estas conquistas.  

“As conquistas estão sempre em construção. Identificar e pensar em como essas experiências podem nos inspirar, nos ajudam a continuar a construir políticas públicas de leitura, apesar das adversidades - como a pandemia e o refluxo das políticas públicas em todas as áreas”, destacou Neide Almeida, da Rede LEQT, mediadora do debate.    

São Paulo, SP

E os desafios começam na capital paulista. Julia Santos, do Conselho PMLLLB São Paulo/SP apresentou um retrato atual do Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca do município, apontando as perspectivas para os próximos anos. Instituído em 2015, O PMLLLB sofreu percalços em 2017, quando a gestão, à época, suspendeu a participação da sociedade civil. Retomada em 2019, depois de um forte movimento do Conselho envolvendo todos os parceiros – desde bibliotecas públicas e comunitárias, movimentos culturais até editoras -, outros desafios vieram: corte e redirecionamento dos recursos específicos para PMLLLB. Motivo de mais um movimento.

A importância das bibliotecas para o plano de São Paulo, com a participação de diversos atores, é fundamental contra ameaças de desmonte que estes equipamentos podem sofrer, alerta Julia. “Bibliotecas são espaços de democratização da leitura, de crescimento, transformação e resistência.”, diz. E prova da resistência está aqui mesmo, no sucesso do LiteraSampauma rede com quinze bibliotecas comunitárias e duas escolares no território de São Paulo.

São Luís, MA

A participação das bibliotecas comunitárias dentro do processo do PMLLLB de São Luís foi o tema de Thais Rodrigues, da Comissão de Elaboração PMLLLB São Luís/MA, também é integrante no Grupo de Incidência Política da Rede de Bibliotecas Comunitárias (RNBC) da Ilha Literária, do Maranhão.

Thais remonta a história da rede Ilha Literária (2017) – hoje, com 17 bibliotecas comunitárias distribuída em nove bairros de São Luís e uma localizada na zona uma rural. A Ilha começa com o trabalho de incentivo à leitura de uma instituição apoiada pelo programa Prazer em Ler, mais tarde ampliado para polo de leitura Ler pra Valer. O marco desta rede foi a criação do Fórum Estadual do Livro e Leitura do estado do Maranhão, em 2011. Em 2013, outro polo de leitura, chamado Terra das Palmeiras, se reúne para formar um só coletivo.

“Precisamos fortalecer a constituição de redes leitoras, dos territórios e investir no estudo e conhecimento das leis. Fóruns de diálogo precisam do envolvimento de todo a cadeia da economia do livro.”, enfatiza Thais. 

Juína, MT

“Poder público e sociedade civil, trabalhando juntos, dão legitimidade e efetividade para os Planos Municipais do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca”, afirmou Adriano Souza, consultor do PMLLLB de Juína/MT. Garantir a biblioteca como direito, por meio de modelos participativos e apoio de gestão pública e atentar aos recursos e orçamentos, foi o caminho percorrido pelo município: “Partimos de um cenário de uma biblioteca fechada para, atualmente, 11 abertas”, comemora Adriano Souza.

O Sistema Municipal de Bibliotecas de Juína sistematiza a guestão das bibliotecas presentes no município e garantir a democratização de acesso à informação a toda população. O SMBJ é composto pela Biblioteca Pública Municipal Profª Maria Santana, a Biblioteca Pública Municipal Infantil Chalézinho da Leitura, oito Bibliotecas Escolares do município, uma Biblioteca Comunitária e Pontos de Leitura.

Assista a palestra na íntegra pelo canal do YouTube do SisEB.