/ governosp
Convidados - Biblioteca Viva
 

Convidados


Crédito: Marcelo Nakano

Adriana Cybele Ferrari

Bibliotecária, especialista em Sistemas de Informação e em Gestão da Qualidade. Foi diretora técnica do Sistema Integrado de Bibliotecas e da Biblioteca Florestan Fernandes da Universidade de São Paulo, onde atualmente está como chefe técnica. Como assessora na Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, idealizou e coordenou os projetos das Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos. É vice-presidente da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições, e membro do Comitê de Bibliotecas Públicas da International Federation of Library Associations.



Crédito: Divulgação

Adriano Souza

Pedagogo com habilitação em Orientação Educacional, jornalista com MBA em Marketing e Comunicação e gestor de eventos. Entre 2017 e 2020 atuou como secretário de Cultura do município de Juína/MT, onde foi responsável pela criação de importantes políticas públicas culturais, dentre elas o Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas.  Por sua atuação foi reconhecido com prêmios e menções honrosas nacionais e Internacionais.



Crédito: Neto Gonçalves-Cia das Letras

Ailton Krenak

Nasceu em 1953. Ativista do movimento socioambiental e de defesa dos direitos indígenas, organizou a Aliança dos Povos da Floresta, que reúne comunidades ribeirinhas e indígenas na Amazônia. É comendador da Ordem de Mérito Cultural da Presidência da República e doutor honoris causa pela Universidade Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Autor de Ideias para adiar o fim do mundo.



Crédito: Mirna Nóbrega

Amanda Leal de Oliveira

Socióloga, doutora em Ciência da Informação, docente universitária e graduanda em biblioteconomia. Atua há mais de 20 anos em projetos de fortalecimento de bibliotecas comunitárias, escolares, públicas e formação de mediadores de leitura.  É co-idealizadora e coordenadora do premiado projeto Piracaia na Leitura, na cidade de Piracaia, São Paulo.



Crédito: Caio Franco

Bianca Santana

Jornalista, Doutora em Ciência da Informação e mestra em Educação pela Universidade de São Paulo. Colunista da revista Gama e autora de Continuo preta: a vida de Sueli Carneiro (Companhia das Letras, 2021) e Quando me descobri negra (SESI-SP, 2015).



Crédito: Divulgação

Camila Araújo dos Santos

Doutora e mestra em Ciência da Informação, e graduada em Biblioteconomia pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). É coordenadora do Grupo de Trabalho de Competência em Informação da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas de Informação e Instituições e docente substituta da Unesp Marília nos cursos de Biblioteconomia e Arquivologia. Desde 2006 pesquisa a temática competência em informação (CoInfo), assunto que aborda em sua coluna no website INFOhome – OFAJ. Seu foco de pesquisa está voltado para os temas framework em CoInfo, modelos e referenciais para a sensibilização, conscientização, implementação, desenvolvimento e institucionalização da CoInfo, sociedade da aprendizagem, competência midiática, competências, capacidades, habilidades, atitudes e valores em informação nos âmbitos educacional e organizacional.



Crédito: Fridas Comunica e Fotografa

Carine Souza

Revisora e preparadora de textos, certificada pela Universidade São Judas Tadeu e pela Universidade do Livro (Editora Unesp), onde também cursou produção editorial. Tem formação técnica em Biblioteconomia e estuda Letras. É produtora cultural e idealizadora do Mulheres Negras na Biblioteca, um projeto cujo objetivo é tornar notável a importância da inclusão de obras de autoras negras nos acervos das bibliotecas.



Crédito: Divulgação

Charlene K. Lemos

Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, diplomada em Gestão de Bibliotecas Públicas pela Universidad Alberto Hurtado (Chile) e mestra em Ciência da Informação pela Universidade de São Paulo. Atualmente é coordenadora na Biblioteca Pública Raul Bopp, temática em Meio Ambiente, da Prefeitura Municipal de São Paulo, e docente no curso pós-graduação em Gestão de Bibliotecas Escolares. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Cultura e Informação. Organiza eventos literários, culturais com foco na participação comunitária, formando redes com o território local.



Crédito: Divulgação

Cida Fernandez

Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Pernambuco. É responsável pelo Programa Direito à Leitura, do Centro de Cultura Luiz Freire, e assessora do Programa Prazer em Ler, da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias. Desenvolveu o Sistema de Classificação por Cores para a literatura de ficção e poesia. Realiza palestras e ministra cursos para o desenvolvimento de profissionais nas áreas de formação de leitores, organização e gestão de acervos literários e incidência em políticas públicas na perspectiva dos direitos humanos.



Crédito: Andrea Rego Barros

Cida Pedrosa

Poeta, contista, recitadora e vereadora do Recife. Nasceu em 1963 em Bodocó, no sertão de Pernambuco. Com 10 livros de poesias publicados – Estesia (2020), Solo Para Vialejo (2019), Gris (2018), Claranã (2017 e 2015), Miudos (2011), As Filhas de Lilith (2017 e 2009), Gume (2005), Cântaro (2000), O Cavaleiro da Epifania (1986) e Restos do Fim (1982) –, e algumas indicações a prêmios literários, conquistou em 2020 o mais importante prêmio da literatura nacional, o Jabuti, nas categorias Poesia e Livro do Ano, com o livro Solo Para Vialejo (CEPE Editora). Também acumula experiência como editora e curadora de eventos literários, é a homenageada da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco em 2021 ao lado de Paulo Freire.



Crédito: HdM Stuttgart

Cornelia Vonhof (Alemanha)

Professora de Gestão Pública na Universidade de Mídia de Stuttgart. Seu trabalho se concentra em instrumentos de gestão em bibliotecas e instituições de informação, em particular gestão de qualidade, desenvolvimento organizacional e de pessoal, gestão de processos e controle estratégico. É chefe do curso de educação continuada e do programa de mestrado em Biblioteca e Gestão da Informação. É ativa como autora e especialista de instituições, como membro da Comissão de Gestão Conjunta da Associação Alemã de Bibliotecas e da Associação de Bibliotecários Alemães, entre outros.



Crédito: Vugulu

Giovanna Sant’Ana

Mestranda em Gestão da Informação e especialista em Gestão de Projetos pela Universidade de São Paulo, em Customer Service pela Greystone College (Canadá) e em Gestão Cultural pelo Sesc São Paulo. Atua na área cultural desde 2008 e atualmente integra a equipe da SP Leituras, como membro do Conselho de Administração (representante dos/as funcionários/as) e gerente de Programas e Projetos para elaboração, planejamento, execução, monitoramento e avaliação de programas e projetos socioculturais, literários e educacionais.



Crédito: Divulgação

Hosana de Moraes Santos

Bacharel em Biblioteconomia pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, e especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional, Gestão de Biblioteca Escolar e Ensino da Literatura e Produção de Textos em Língua Portuguesa. Há mais de 20 anos atua como bibliotecária e atualmente está como gerente de Acervo na SP Leituras – Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura, gerenciando os acervos das Biblioteca de São Paulo e Parque Villa-Lobos.



Crédito: Divulgação

Juan Pablo Angarita Bernal (Colômbia)

Escritor, historiador e professor de História. Tem 11 anos de experiência como gerente de projetos na área de bibliotecas públicas digitais. Atuou como curador de exposições bibliográficas, pesquisador acadêmico, professor, jornalista e mediador cultural. É coordenador da Biblioteca Virtual do Banco da República da Colômbia, onde desenha e implementa estratégias para garantir o acesso e uso público dos conteúdos digitais e promover a apropriação pelos cidadãos. A Biblioteca Virtual foi criada em 1997 e recebe mais de 22 milhões de visitas por ano.



Crédito: Divulgação

Julia Santos

Bacharel em Biblioteconomia e Ciência da Informação pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo e formada no curso Sesc de Gestão Cultural. Conselheira do Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca de São Paulo, representando a sociedade civil no segmento de bibliotecas comunitárias. Atua como bibliotecária, gestora cultural e mediadora de leitura na Biblioteca Comunitária Espaço Jovem Alexandre Araújo Chave, que integra a Rede LiteraSampa que faz parte da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias.



Crédito: Divulgação

Márcia Licá

Nasceu no interior do Tocantins, graduada em Pedagogia e pós-graduada em Literatura Crítica para Crianças e Jovens. Atua há mais de 20 anos na área da educação e no engajamento comunitário, pesquisadora e ativista nos temas: livro, leitura literária, formação de mediadores e bibliotecas comunitárias. Coordena a produção de conteúdo na Associação Vaga Lume, que atua com projetos de educação e intercâmbio cultural nos nove estados da Amazônia Legal, em 22 municípios com fortalecimento contínuo de uma rede de 86 bibliotecas comunitárias em comunidades rurais da região. É cofundadora da Coletiva Fiandeiras, grupo de mulheres negras ativistas de direitos humanos nas favelas Real Parque e Jardim Panorama, em São Paulo.



Crédito: Divulgação

Maria das Graças Monteiro de Castro

Graduada em Biblioteconomia, mestra e doutora em Educação pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Professora associada e coordenadora acadêmica do Laboratório do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca da Faculdade de Informação e Comunicação da UFG. De 2006 a 2013 foi diretora do Centro Editorial e Gráfico da UFG. É presidente da Comissão de Bibliotecas Escolares da FEBAB e leitora-votante do Prêmio FNLIJ desde 1991.



Crédito: Marcelo Nakano

Marilena Nakano

Fundadora da Rede Beija-flor de Pequenas Bibliotecas Vivas de Santo André, pedagoga e historiadora.  Pós-doutora pela Université Paris 13 (França), doutora e mestre na área de Educação, Estado e Sociedade pela Universidade de São Paulo, e professora aposentada do Centro Universitário Fundação Santo André. Tem experiência na área de educação, na formação de professores. Foi cooperante na África, em São Tomé e Príncipe e Cabo Verde, na alfabetização de jovens e adultos, e na França, professora de educadores sociais, no campo da mediação de território.



Crédito: Osmar Moura

Neide Almeida

Escritora, poeta, educadora, pesquisadora, produtora e gestora cultural. Socióloga pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, mestre em Linguística pela PUC-SP e especialista em Gestão Cultural Contemporânea pelo Itaú Cultural. Atua na área de direitos humanos, especialmente no campo da leitura e das relações étnico-raciais. Trabalhou no programa Prazer em Ler do Instituto C&A, no Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil, e atuou no GD do Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca de São Paulo como membro da sociedade civil. Em 2018 integrou o júri final do Prêmio São Paulo de Literatura. É autora do livro de poesia Nós: 20 poemas e uma Oferenda (Ciclo Continuo Editorial, 2018).



Crédito: SP Leituras

Pierre André Ruprecht

Administrador pela Fundação Getulio Vargas. Foi professor de Metodologia da Pesquisa em Comunicação, atuou na área de multimeios e formação, foi coordenador geral da assessoria da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e dirigente de planejamento em empresas e projetos na área cultural. Desde 2011 atua como diretor executivo da SP Leituras, organização social focada em leitura, bibliotecas, cultura e conhecimento. Como tal, encabeçou o projeto de instalação e operação da Biblioteca Parque Villa-Lobos, indicada como uma das três bibliotecas públicas do ano pela Feira do Livro de Londres e uma das cinco melhores bibliotecas públicas do mundo pela IFLA. Por meio de contrato de gestão com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, está à frente, também, das ações do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas e da Biblioteca de São Paulo, uma das quatro bibliotecas do ano de 2018 pela Feira do Livro de Londres.



Crédito: Divulgação

Rildo Cosson

Doutor em Letras e Educação. Foi professor das Universidades Federais do Acre, de Pelotas e de Minas Gerais atuando na graduação e pós-graduação em Letras e Educação. É autor de Paradigmas do ensino da literatura (2020), Letramento político (2019) e Círculos de Leitura e Letramento Literário (2014). Atualmente é pesquisador do Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita da Universidade Federal de Minas Gerais, professor visitante do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal da Paraíba e literator em escolas e eventos acadêmicos.



Crédito: Divulgação

Rodrigo Santos de Oliveira

Formado em Letras pela Universidade Sant'Anna de São Paulo. Atua na SP Leituras como mediador e incentivador de práticas de leituras para as comunidades frequentadoras e usuárias da Biblioteca de São Paulo (BSP) e da Biblioteca Parque Villa-Lobos. Atualmente, como gestor de atendimento, promove a organização, junto às equipes das bibliotecas, dos clubes de leituras e outros programas culturais realizados pelos serviços da BSP e da BVL. Tem paixão por literatura, especialmente a brasileira, e acredita no poder transformador do acesso aos livros para a construção de uma sociedade mais humana e consciente do seu dever nesse tempo atual.



Crédito: Divulgação

Ronaldo de Almeida

Professor Livre Docente do Departamento de Antropologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e diretor científico do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Possui graduação e mestrado na Unicamp, doutorado na Universidade de São Paulo e pós-doutorado na École des Hautes Études em Sciences Sociales. Autor do livro A Igreja Universal e seus demônios (ed. Terceiro Nome) e da coletânea, com Rodrigo Toniol, Conservadorismos, fascismos e fundamentalismos: análises conjunturais (ed. Unicamp).



Crédito: Divulgação

Thais Rodrigues

Formada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Maranhão e atua como bibliotecária da Ilha Literária, Rede de Bibliotecas Comunitárias de São Luís. Integra a Comissão de Bibliotecárias da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias e os grupos Biblioteconomia LGBTQIA+ e Mais Biblioteconomia. É coordenadora da Comissão Especial de Bibliotecas, Leitura, Diversidade e Acessibilidade do Conselho Regional de Biblioteconomia 13ª Região, fotógrafa/cinegrafista, ativista dos Direitos Humanos e produtora cultural da Safeira, feira de artesanato de mulheres lésbicas e bissexuais de São Luís.



Crédito: Natália Escudeiro

Três Marias e um João

Nasceu em 2009, composto por três atrizes e um ator, que tinham em comum o interesse de investigar possibilidades cênicas dentro da literatura. As pesquisas levaram à contação de histórias e o grupo decidiu seguir por este caminho acreditando no papel formador e transformador que o contador pode desenvolver com seu público. Especializou-se na contação de histórias para o público infantil, mesclando a narração com momentos de encenação, dando vida aos personagens dos contos. O grupo segue desenvolvendo sua pesquisa no campo da arte de contar histórias, levando seu trabalho para centros culturais, bibliotecas, escolas, e outros espaços de leitura.



Crédito: Divulgação

Valéria Martin Valls

Doutora e mestre em Ciências da Comunicação e graduada em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade de São Paulo, com extensão universitária em Docência pela Fundação Getulio Vargas. Coordenadora acadêmica e docente do curso de graduação em Biblioteconomia e docente de pós-graduação da área de Ciência da Informação da Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Membro do Conselho de Administração da SP Leituras – Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura e coordenadora regional São Paulo da Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação, gestão 2019-2022. Como orientadora, foi contemplada com o Prêmio da ABECIN de melhor TCC de graduação em 2014, 2016 e 2020. Consultora associada em projetos ligados à gestão da qualidade, informação e conhecimento, é também palestrante nos seguintes temas: gestão do conhecimento, inovação e aspectos contemporâneos da área de Biblioteconomia e Ciência da Informação.


Ouvidoria Transparência SIC