/ governosp
Especialistas iluminam debate sobre letramento e cidadania, no encerramento do 12º Seminário Internacional Biblioteca Viva - Biblioteca Viva
 

Blog

Especialistas iluminam debate sobre letramento e cidadania, no encerramento do 12º Seminário Internacional Biblioteca Viva

Um surpreendente caso da biblioteca virtual da Colômbia, a atuação do Grupo de Trabalho de Competência em Informação (CoInfo) da FEBAB na perspectiva da biblioteca viva e a importância das práticas de serviços, acervos e programação cultural voltadas às experiências de leitura.

Especialistas convidados para a mesa de encerramento do 12º Seminário Internacional Biblioteca Viva “Letramentos informacional, literário e digital: construção de sentidos e conhecimentos”, da última sexta-feira, 6 de agosto, iluminaram o debate sobre o papel social e educacional das bibliotecas para o desenvolvimento da cidadania e exercício do direito à informação de qualidade.

A mediação foi de Valéria Valls, coordenadora acadêmica e docente do curso de graduação em Biblioteconomia e docente de pós-graduação da área de Ciência da Informação da Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, além de membro do Conselho de Administração da SP Leituras.

Biblioteca virtual e humanização: centralidade nas pessoas, não na ferramenta. Um exemplo latino-americano.

A vocação das bibliotecas virtuais como centros de recursos para aprendizagem e investigação é atualmente uma realidade. Com o crescimento do conjunto de serviços e plataformas digitais, a necessidade de aumentar as competências digitais dos bibliotecários e usuários por meio de programas estruturados e híbridos é uma prioridade, acredita Juan Pablo Angarita Bernal, consultor de cultura digital e inovação da Secretaria de Cultura, Lazer e Esportes de Bogotá, Colômbia, que compartilhou as experiências surpreendentes da Biblioteca Virtual do Banco de la República, na Colômbia. “É necessário que o usuário seja capaz de criar sua própria rota de investigação e pesquisa, é um direito do cidadão ao acesso à informação.”, observou o especialista colombiano.

Criada em 1997, a Biblioteca Virtual coloca à disposição do público materiais, conteúdos e informações, principalmente sobre a Colômbia ou os produtores colombianos, em diversas áreas do conhecimento, que podem ser consultados na internet de qualquer lugar do país ou o mundo. Hoje, o sistema bibliotecário em rede é acessado por mais de 10 milhões de usuários/ano  naquele país, por meio de um catálogo que unifica os serviços e materiais em diversos formatos, organizados em coleções temáticas - livros, fotos, arquivos de som e vídeo, páginas interativas, exposições online, projetos temáticos e materiais educacionais.

‘Estou muito feliz em estar neste encontro, pois a linguagem dos bibliotecários é uma só. Nossos países têm necessidades e contextos parecidos, por isso, quero estabelecer pontes com os profissionais brasileiros para compreender nossos problemas e criar um jeito latino-americano de pensar a tecnologia, o trabalho e o papel das bibliotecas.”, concluiu Juan Pablo Angarita Bernal.

“A informação tira o sujeito da passividade, quebra certezas! Nós, bibliotecários, devemos dar luz aos nossos usuários.” (Camila Araújo dos Santos)

Protagonismo do usuário e acesso à informação de qualidade é um exercício de cidadania e emponderamento. Camila Araújo dos Santos, coordenadora do Grupo de Trabalho de Competência em Informação CoInfo - da FEBAB, destacou a atuação do GT na perspectiva da biblioteca viva. A especialista ressaltou que é no diálogo das pessoas com a informação, que se dá, na prática, o exercício da cidadania. “Sintonizar o usuário com relação ao seu meio, despertar seu senso crítico, são exemplos de como as bibliotecas podem emponderar os sujeitos, atribuindo sentidos e conhecimento por meio de experiências. Esta prática reforça a função social e educativa do bibliotecário.”, acrescentou a coordenadora do GT da FEBAB. “A informação tira o sujeito da passividade, quebra certezas!”, disse Camila Araújo. 

“Proporcionem experiências de leitura aos usuários de suas bibliotecas!” (Rildo Cosson)

Rildo Cosson, pesquisador do Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita da Universidade Federal de Minas Gerais, professor visitante do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal da Paraíba, em sua exposição, discorreu sobre o conceito de letramento literário e a experiência de leitura. Para o professor, a literatura não é apenas uma forma de autoconhecimento ou de conhecer o outro: “Proporcionem experiências de leitura aos usuários de suas bibliotecas, nos seus mais diversos formatos, mas sempre experiências!”, enfatizou o especialista. 

Mensagem final

“Cada um de nós, como cidadãos, como bibliotecários e profissionais do livro, da literatura e da leitura, podemos ser a máscara que protege a sociedade contra as informações falsas; temos a missão de reverberar a informação de qualidade. E rumo a 13ª edição!”  (Valéria Martin Valls, do Conselho Curatorial do 12º Seminário Internacional Biblioteca Viva) 

Assista o encontro da íntegra pelo canal do YouTube do SisEB. 

O seminário é parte integrante de um conjunto de ações do SisEB, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, coordenadas pela Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura, gerenciadas e executadas pela SP Leituras. Com o apoio institucional da FEBAB, FESPSP, Instituto Cultura Etc, Rede Beija-flor de Pequenas Bibliotecas Vivas de Santo André, Piracaia na Cultura e Rede LEQT, a iniciativa resulta de parceria com o Goethe-Institut São Paulo.

Ouvidoria Transparência SIC