/ governosp
Bibliotecas rurais na Alemanha - Biblioteca Viva
 

Blog

Bibliotecas rurais na Alemanha

Mirko Wilkelmann, da Associação Alemã de Bibliotecas, foi o convidado da primeira palestra virtual do Seminário do dia 6 de julho, com mediação da artista e pesquisadora da Silo – Arte e Latitude Rural, Cinthia Mendonça, intitulada Bibliotecas Rurais na Alemanha: quais os desafios enfrentam e o quanto podem alcançar?. Para apresentar o contexto cultural onde essas bibliotecas estão instaladas, o palestrante informou o público que 2/3 do território da Alemanha são consideradas zonas rurais, a região possui pouca oferta de trabalho para pessoas formadas e há uma grande migração dos jovens para as cidades em busca de melhores condições de trabalho. Além disso, há dificuldade de acesso à internet, instabilidades nas redes telefônicas e poucas opções de transporte público.

De modo geral, as bibliotecas nessas regiões estão instaladas em pequenos espaços, possuem poucos livros no acervo e um único funcionário. Mas há locais mais desenvolvidos, com programas para crianças em idade escolar e encontros com autores da região, porém com dificuldade de gerenciamento. A Associação Alemã representa cerca de 9 mil equipamentos culturais, que atendem 11 milhões de usuários. O trabalho realizado com as bibliotecas rurais consiste em custear 75% projetos de infraestrutura, com destaque para móveis, computadores, games, wi-fi, espaço de coworking, cozinhas públicas, entre outros. “Em dois anos foram realizados mais de 500 projetos nessas regiões, sendo que para muitas bibliotecas o programa serviu como porta de entrada para o mundo digital”, explica Wilkelmann. 

Muitos projetos envolvem soluções criativas, como o uso de estantes com rodinhas e prateleiras reversíveis para abrigar eventos no espaço ou o uso de uma bicicleta elétrica e caixas de correios para devolução das obras emprestadas por moradores de regiões mais afastadas ou com pouca mobilidade. “Uma particularidade dessas regiões é que os projetos mais bem-sucedidos foram realizados em parceria com a comunidade local, o que comprova a importância do envolvimento da população desde o início do processo de transformação desses espaços”, observa o palestrante.

Ao mesmo tempo que a reestruturação dos espaços atrai mais jovens e crianças, principalmente por conta dos recursos tecnológicos, há uma certa resistência dos associados mais antigos se reconhecerem e se conectarem com o local. Para Wilkelmann, os conflitos geracionais também podem acontecer, mas é possível resolver esses problemas oferecendo uma pequena área para leitura com revestimentos acústico. O conteúdo integral da palestra já está disponível no YouTube, pelo link https://www.youtube.com/watch?v=WP6iNzZoIII