/ governosp
Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB)

Sobre

O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), criado pelo decreto nº 22.766, de 9 de outubro de 1984, e reformulado pelo decreto nº 55.914, de 14 de junho de 2010, integra as 606 bibliotecas públicas de 435 municípios paulistas*, incluindo a Biblioteca de São Paulo e a Biblioteca Parque Villa-Lobos, consideradas laboratórios de experiências do conceito Biblioteca Viva.

O SisEB é coordenado pela Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, e tem a SP Leituras, organização social de cultura (eleita pelo terceiro ano consecutivo entre as 100 Melhores ONGs do Brasil), como parceira em sua operação. O Sistema tem como objetivo garantir aos cidadãos do Estado de São Paulo o direito à biblioteca e fazer com que cada biblioteca tenha uma relação significativa com seus territórios e suas comunidades.

Como ações principais, destacam-se:

  • Articular e promover ações conjuntas com os municípios para que todos tenham pelo menos uma biblioteca pública em adequado funcionamento;
  • Difundir o conceito de Biblioteca Viva com ambientes voltados à mediação e à construção autônoma do conhecimento, e ao acesso à leitura, à literatura e às culturas, oferecendo serviços que colocam o público como protagonista;
  • Oferecer assessoria técnica às bibliotecas integrantes do Sistema para criação e/ou modernização dos seus recursos materiais e humanos;
  • Estimular o desenvolvimento de programas, projetos e ações que incentivem e promovam a criação de novas bibliotecas nos municípios;
  • Criar banco de experiências, base de dados e/ou aplicativos para reunir e difundir as práticas relevantes das bibliotecas;
  • Fomentar a necessidade de especialização das equipes das bibliotecas e a adequação do número de colaboradores para o atendimento das demandas;
  • Realizar avaliações das ações implantadas e não implantadas ao longo do período;
  • Fomentar e disponibilizar bases de dados entre bibliotecas do Sistema;
  • Realizar programas e formações (virtuais, a distância e presenciais) periódicos e com foco nos objetivos da Biblioteca Viva;
  • Realizar processo contínuo de acompanhamento das bibliotecas para fortalecê-las e orientá-las em seu papel cultural, social, educativo e econômico;
  • Apoiar a renovação e a atualização dos acervos;
  • Elaborar publicações impressas e digitais para ações de advocacy em prol da Biblioteca Viva, do SisEB e do direito à cultura, leitura, literatura e à biblioteca em seu território, município e região.

* Fonte: Dados 2018, plataforma Bibliotecas Paulistas.


Desafios da biblioteca pública viva

  • Fazer da biblioteca um lugar de livre acesso e produção de cultura, leitura, informação e conhecimentos;
  • Fazer da biblioteca um ambiente que contribua para o desenvolvimento das comunidades nas quais está inserida, fortalecendo suas identidades e a integração entre as culturas acumuladas e os saberes locais;
  • Fazer da biblioteca um espaço que promova a diminuição de desigualdades sociais, com ações democráticas e solidárias baseadas no princípio da igualdade, da participação e da liberdade, consideradas as identidades dos diferentes grupos;
  • Transformar as bibliotecas em locais vivos de intercâmbio de culturas e formação de leitores, acompanhando as mudanças sociais e tecnológicas, tornando-se espaços úteis e fazendo com que as comunidades se reconheçam, participem e fidelizem seu uso.


Ambientada em cidades fictícias, a série “Bibliotecas Fantásticas”, composta por quatro vídeos, traz narrativas que explicam o significado de Biblioteca Viva. As histórias são encenadas pelo ator Arô Ribeiro e filmadas com personagens em miniatura que saem de uma pequena maleta.


Governança

Ao longo da última década, em função da reestruturação do SisEB, há um esforço contínuo para constituição de governança da rede. Para isso, ao longo dos anos de 2012, 2013, 2014, 2020 e 2021 foram organizadas ações e constituídos grupos, compostos por diferentes bibliotecas e cidades paulistas, unidas por valores e objetivos comuns, com participação voluntária, horizontal, não linear e de poder descentralizado, para construção de documento que reúna subsídios teóricos e práticos, nas instâncias municipais, estadual e do terceiro setor, para formalização da representação regional.

Institucional

Transparência Gestão