/ governosp

Com cerca de 200 participantes de diversas partes do Brasil e até de Portugal, o webinar “Game, literatura e biblioteca: um ponto de equilíbrio” contou com o expertise  do educador Francisco Tupy em encontro na tarde de 18 de dezembro. A palestra promoveu a reflexão sobre como a construção de espaços virtuais pode contribuir para a compreensão do mundo. Durante a atividade, as explicações acerca da sinergia conceitual entre bibliotecas, livros e jogos ganharam um desdobramento divertido: o exemplo prático de um ambiente virtual, com narrativa construída especialmente para a ocasião.

Francisco Tupy é doutor e mestre em aplicação de videogames na Educação e Comunicação pela ECA-USP e tem formação em ensino e aprendizagem pela Krishnamurti Foundation of America/UCSB (Califórnia, Estados Unidos). Professor e palestrante em vários países, ele é responsável pedagógico pelo projeto #HistoryBlocks da UNESCO, que utiliza o “Minecraft” e está presente em mais de 100 países. Em 2018, foi indicado à medalha Darcy Ribeiro. É bicampeão do evento Educators Excahnge (Seattle, 2015 e Budapeste, 2016).

Dentro do programa Praler – Prazeres da Leitura, a atividade atraiu a atenção de profissionais com diferentes formações. Os bibliotecários presentes inclusive lembraram da importância de estimular a curiosidade dos visitantes e levá-los a descobrir, a partir dos videogames, livros, narrativas, informações históricas diversas. Tupy incluiu tais observações em suas explanações, valorizando a atuação dos mediadores, em todos os espaços e das mais diferentes formas.

Termos como gamificação, interação e estratégica permearam todo o encontro. A intersecção entre os “universos” das bibliotecas e os jogos, por exemplo, foi destacada em diversos aspectos: entre eles, a presença, nestes ambientes, cada vez maior de ludotecas (com jogos eletrônicos, analógicos, de tabuleiro etc.), as visitas gamificadas (ou seja, transformadas em divertidas experiências com narrativas, recompensas e regras) e as oficinas, sejam as criativas, de análise ou expositivas.

Durante o webinar, Tupy compartilhou alguns jogos de diferentes origens como Mancala e o da Onça: respectivamente, disponíveis em https://www.youtube.com/watch?v=Sog-iKBh6vshttps://www.youtube.com/watch?v=NJFtAzorA-Y. Como defendeu o especialista, o ser humano só é considerado assim (humano) quando ele, de fato, joga. Para ele, é possível compreender uma sociedade conhecendo seus jogos. E, para exemplificar parte de suas explicações no webinar, o professor compartilhou com todos a navegação de um ambiente virtual, criado em “Minecraft”. O cenário era o de uma biblioteca gigante, cheia de corredores e grandes estantes repletas de livros. Na narrativa, o jogador buscava uma obra em especial, enfrentando situações inusitadas e se confrontando com lugares surpreendentes.

Perdeu este encontro? Em breve, a íntegra da palestra estará disponível em nosso canal do YouTube, onde é possível encontrar também outros conteúdos relacionados com o tema.

 

Ouvidoria Transparência SIC