No dia 9 de março aconteceu o primeiro encontro do grupo de trabalho selecionado para a constituição de Governança do SisEB. Com a presença de gestores, bibliotecários e autoridades que atuam em 15 regiões administrativas do Estado de São Paulo, o dia foi dedicado a compreender as necessidades e os potenciais da rede de bibliotecas. 

Christiano Braga, coordenador da UDBL (Unidade de Difusão, Bibliotecas e Leitura), iniciou o processo apresentando um plano de trabalho e atuação para construção de um conjunto de práticas que garantam o fortalecimento, a manutenção e a visibilidade da rede de bibliotecas do Estado de São Paulo. 

Em um segundo momento, o diretor executivo da SP Leituras, Pierre André Ruprecht, traçou um panorama dos 35 anos de existência do SisEB e trouxe reflexões, desafios e a importância de um plano de desenvolvimento. 

“Bibliotecas só sobrevivem se mudarem o foco para as pessoas e comunidades. O conceito de biblioteca viva se espalhou, mas a prática ainda é limitada”, diz Pierre.

Trazendo de forma prática a aplicação de um sistema em rede, Luiz Mizukami, do SISEM (Sistema Estadual de Museus de São Paulo), apresentou as experiências e os aprendizados adquiridos com o sistema. Os mapeamentos de museus, pesquisas e diagnósticos do cenário foram, e ainda são, estratégicos para o fortalecimento do diálogo em rede.

Finalizando a parte da manhã, Cássio Martinho, jornalista e professor, palestrou sobre “Rede de bibliotecas e inteligência coletiva”. Apresentou conceitos teóricos sobre o padrão de organização em rede, as vantagens e as estratégias para colocar em prática um sistema resistente e autônomo e, a necessidade das ações terem um objetivo muito claro para todos os envolvidos no processo. 

“Expandir os horizontes e ampliar as formas de conexão para aumentar o relacionamento das bibliotecas entre si. Conexão entre os agentes torna o processo robusto, forte e firme” afirma Cássio. 

O dia seguiu com dinâmicas mediadas pela socióloga Amanda Leal, com foco em: desenvolver o potencial das redes de bibliotecas; gestão de redes e cooperação entre bibliotecas; o diálogo entre governança e inteligência coletiva; inovação e redes cooperativas. Os próximos encontros acontecerão em abril e maio com oficinas de cocriação, resultando em um conjunto de práticas que tem como objetivo aperfeiçoar e atender as demandas da rede de bibliotecas a longo prazo.

PARTICIPANTES

  1. ANGELINA MOREIRA DE SOUZA – DIADEMA
  2. CLEMENCIA APARECIDA CANOAS DE ANDRADE – FRANCA
  3. DANIELA PEREZ DA GUARDA – CUBATÃO
  4. ELAINE MOREIRA MAGAROTTO – SÃO BERNARDO DO CAMPO
  5. GILBERTO GONÇALVES – COLINA
  6. JOSÉ LUIZ DE OLIVEIRA COUTINHO – BAURU
  7. JULIANA MORETTI LOUZADA – GARÇA
  8. KELLY GUIMARAES – SÃO BERNARDO DO CAMPO
  9. LEANDRO AMÉRICO APRILE – SERTÃOZINHO
  10. LUIZ HENRIQUE DE OLIVEIRA – ITAPEVA
  11. MARIA ELIZABETH CALDELLAS PEDROSA – SÃO PAULO
  12. MARILENA NAKANO – SANTO ANDRÉ
  13. MURILO TOMIAZI MISAEL – PRESIDENTE PRUDENTE
  14. NELSON GAUDIOSO LISBÃO – JARINÚ
  15. OSVALDO CAVALIERE – ANHUMAS
  16. PAULO RICARDO BERNARDES LOPES – BIRIGUI
  17. RICARDO NAIA ROTHER – ILHABELA
  18. SILVIA BRANDAO CUENCA STIPP – VOTUPORANGA
  19. SILVIA CRISTINA PÓVOA – OURINHOS
  20. SUELI MOTTA – SÃO PAULO
  21. TALITA FLORIANO CAMPOS DELIS – ITAPETININGA
  22. VINICIUS CARLOS DA SILVA – PORTO FERREIRA
  23. DIEGO SILVA – SÃO PAULO
  24. ISABEL AYRES – SÃO PAULO
  25. MARCELO TORRES – SÃO PAULO