/ governosp

No final de setembro, o Clube de Leitura Online Mulheres Negras na Biblioteca fez parte do FLI – Festival Literário de Iguape, realizado pela Poiesis Oficinas Culturais e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. O evento online contou com as escritoras Márcia Cristina Américo e Viviane Marinho Luiz; a mediação ficou com Carine Souza e Juliane Souza, do coletivo Mulheres Negras na Biblioteca. A atividade tratou exclusivamente de autoras negras da região do Vale do Ribeira. A ação do SisEB foi promovida via programa Praler e teve a SP Leituras como parceira.

Os participantes do clube dividiram a leitura, em voz alta, do livro “Roça é Vida”, escrito e ilustrado por quilombolas da região. A obra traz narrativa conduzida pelos personagens Tradição, Fartura, Experiência, Êxodo, Continuação, Território, Luta, Resistência e Esperança e é assinada por Márcia Cristina Américo, Luiz Marcos de França Dias, Viviane Marinho Luiz e Laudessandro Marinho Silva, com ilustrações de Amanda Nainá dos Santos e Vanderlei Ribeiro, o Deco. 

Durante o bate-papo, os participantes destacaram a beleza impressa na escolha dos nomes dos personagens e a riqueza das coloridas imagens. Márcia Cristina e Viviane salientaram a delícia de ouvir os trechos lidos por vozes com diferentes sotaques. E falaram da emoção de levar literatura a partir do ambiente da roça, de onde a dupla de escritoras inclusive participou do evento. O estar tão perto dos detentores do saber expresso no livro mexeu também com as autoras neste momento de compartilhamento de impressões sobre o título. O processo criativo foi um dos motivos de interesse de quem esteve no clube. As escritoras falaram sobre o modo de viver e ser das comunidades, da relação direta com a natureza, com a ancestralidade e também da luta pelo existir plenamente diante do que chamaram de diáspora africana no Brasil.

Os membros das comunidades quilombolas se viram retratados no texto, como disseram Maria Cristina e Viviane, que lembraram a história do pequeno Rian: a criança estava esperando os tios terminarem a leitura do livro para que ele também o fizesse. As escritoras falaram ainda da estética dos trabalhadores na roça representados na publicação e da variedade dos saberes e seus significados na obra, além da tradução em arte da história que acaba favorecendo o alcance também aos não letrados.

Reflexão sobre a importância da leitura de livros de escritoras negras também fez parte do encontro, que compartilhou referências para quem quer saber mais sobre a literatura contemplada nesta atividade; entre elas, as escritoras Maíra Rodrigues da Silva, Nilce Pontes Pereira e Andréia Regina Silva Cabral Libório.

Saiba mais sobre as escritoras e mediadoras:

Márcia Cristina Américo é PhD, doutora e mestra em Educação, e graduada em Ciência com habilitação em Química, pela Universidade Metodista de Piracicaba. É feminista, pesquisadora, educadora social, ativista e articuladora do coletivo Mulheres Quilombolas na Luta do Vale do Ribeira, Aquilombada do Quilombo São Pedro, e membra da Associação de Remanescentes de Quilombo São Pedro. Atua nos temas de: educação das relações étnico-raciais; educação escolar quilombola; movimento social de mulheres negras e quilombolas. É autora dos livros “Roça é Vida” e “Práticas educativas coletivas na constituição da vida quilombola: história da comunidade tradicional de Ivaporunduva”. 

Viviane Marinho Luiz é do quilombo Ivaporunduvafeminista, professora, pedagoga, doutora e mestre em Educação, e articuladora do coletivo Mulheres Quilombola na LutaPesquisa a temática racial com enfoque na relação África, Brasil e territórios quilombola. É autora de diversos artigos e dos livros “O quilombo Ivaporunduva e o enunciado das gerações” e “Roça é Vida”obra proposta pelo Grupo de Trabalho da Roçacomposto por agricultores familiar das comunidades quilombola do Vale do Ribeira 

Carine Souza é estudante de Letras, técnica em Biblioteconomia, produtora cultural e idealizadora do projeto Mulheres Negras na Biblioteca. 

Juliane Sousa é formada em Letras pela Universidade Federal de São Paulo, produtora cultural, ambientalista, jornalista, apresentadora de rádio e televisão, roteirista, poeta e uma das responsáveis pelo projeto Mulheres Negras na Biblioteca. 

Em breve, o vídeo com a gravação desta atividade do Clube estará disponível no YouTube do SisEB. Quer saber mais sobre as atividades do SisEB? Confira a programação na seção Agenda, aqui, em nosso site.

Ouvidoria Transparência SIC