– Seus livros têm muito a ver com você?

– Tem esse meio lugar, que é cinzento. Invento tudo, mas tudo tem a ver comigo.

 

Esse diálogo aconteceu entre a estudante Érica Donelli, 16 anos, e o escritor André Vianco, autor de obras de terror, suspense, sobrenatural e fantasia, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

O encontro foi na Biblioteca Parque Villa-Lobos, em São Paulo, durante o programa Viagem Literária, módulo Literatura Fantástica, que reuniu um público curioso em saber mais sobre criação literária, fontes de inspiração e, até, sobre os prosaicos hábitos do homem, que um dia achou conveniente trocar de nome e deixar o Silva para trás.

Essa história, aliás, é engraçada e descreve um pouco do perfil do escritor. Com o sobrenome comum (Silva), André acreditava que não faria sucesso nas vitrines das livrarias e, então, pragmático, caçou nas ruas de Osasco, onde mora com a família e também habitam seus personagens sombrios, um nome mais atraente. Encontrou-o na placa de rua de uma avenida: Dona Primitiva Vianco. Isso aconteceu no começo da carreira, e desde então, ficou conhecido por seu pseudônimo.

“Sou um autor de fantasia, e escritores como eu costumam criar um oásis onde a alma dos leitores entra em repouso”, define Vianco, com 18 livros publicados.

O escritor dá autógrafo para a estudante Érica

Tornar-se escritor, no caso dele, foi uma combinação de fatores. Aos 15 anos fraturou o fêmur e passou três meses na cama. Ali surgiram os primeiros escritos. Depois, com 18 anos, veio o primeiro romance. “Eu agradeço às forças do universo por não ser um bom jogador de futebol. E por não jogar, eu ficava em casa lendo”, explica o escritor que teve em seus pais bons exemplos de leitores.

Mas como começou a gostar de ler?  A primeira lembrança em relação à leitura é de passar em bancas de revistas e tentar entender o que estava escrito. Já o primeiro livro lido por ele contava a história de um bichinho que morava em um bosque e comia tudo o que via, até que um dia explodiu. “Com essa experiência, eu tinha que ser escritor de terror!”, brinca.

Embora a base de sua carreira seja na produção de livros, o autor transita em múltiplas plataformas – produz séries e dá aulas de storytelling gratuitas no seu Instagram. “Como vai ser a fruição do amanhã? Não há uma resposta definitiva, há caminhos”, reflete com o público.

Gabriel Angelo, estudante

“As pessoas nascem com talento para escrever ou desenvolvem?”, pergunta o estudante Gabriel Angelo, de 17 anos, que também participou do bate-papo com o escritor. André Vianco se define como um contador de histórias e construtor de narrativas. “Eu tenho facilidade incrível de fazer storytelling. Existe uma memória atávica, mas além dela há muita teoria por trás de contar histórias – e você tem que aprender”, explica.

Entre seus padrinhos literários estão os romancistas franceses Alexandre Dumas e Victor Hugo, sendo que este último lhe fez compreender o papel do antagonista na construção da história. O norte-americano Stephen King é outra fonte de inspiração. O autor de gêneros de fantasia e horror baseia suas histórias na região onde vive no estado do Maine. O mesmo faz André Vianco, que recria Osasco e faz uma atmosfera sombria e melancólica onde seres atormentam e são atormentados.

Ficou com vontade de conhecer mais sobre a obra de André Vianco? Consulte na sua biblioteca:

 

Os Sete – Editora Aleph
Sétimo – Editora Aleph
O turno da noite: Os filhos de Sétimo – vol. 1  – Novo Século Editora
O turno da noite: Revelações – vol. 2  – Novo Século Editora
O turno da noite: O Livro de Jó – vol. 3 – Novo Século Editora
Bento – Novo Século Editora
A Bruxa Tereza – Novo Século Editora
Cantarzo – Novo Século Editora
As Crônica do Fim do Mundo: A Noite Maldita – vol. 1 – Novo Século Editora
Dartana – vol. 1 – Editora Rocco
O Senhor da Chuva – Novo Século Editora
A Casa – Novo Século Editora
Sementes no Gelo – Novo Século Editora
O Caminho do Poço das Lágrimas – Novo Século Editora
Ou acesse:

www.facebook.com/andreviancoonline

www.facebook.com/andre.vianco.1

www.instagram.com/andrevianco

Viagem Literária na BVL/Fotos: Equipe SP Leituras