/ governosp
Wilberth Salgueiro sugere lista com mais de 30 de poetas e poemas fundamentais - Viagem Literária
Poesia: de 9 a 27 de novembro de 2020 | Contação de Histórias: outubro de 2021

Blog

Wilberth Salgueiro sugere lista com mais de 30 de poetas e poemas fundamentais

Pesquisador e professor de literatura brasileira da Universidade Federal do Espírito Santo, Wilberth Salgueiro está entre os  convidados a participar do primeiro módulo do 13º Viagem Literária, "Poesia: Oficinas e Bate-papos com Escritores". Entre 9 e 27 de novembro, o autor e outros 14 poetas percorrerão 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista, ministrando oficinas e em conversas com o público. Confira o roteiro do escritor no serviço, ao fim do texto. 

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Salgueiro é autor dos livros de poema "Digitais", "Personecontos" e "O jogo", "Micha & outros sonetos", do infantojuvenil "O que é que tinha no sótão" e estudos literários "A primazia do poema", "Poesia brasileira: violência e testemunho, humor e resistência", "Prosa sobre prosa: Machado de Assis", "Guimarães Rosa, Reinaldo Santos Neves e outras ficções", "Lira à brasileira: erótica, poética, política", "Forças & formas: aspectos da poesia brasileira contemporânea (dos anos 70 aos 90)". É colunista do jornal Rascunho.

A seguir, ele antecipa, em duas perguntas, um pouco de sua visão sobre a poesia:

Qual a importância da poesia na literatura contemporânea?

A poesia sobrevive e resiste a todos os tempos, porque ela se faz, explicitamente, na forma de poema, mas se espalha, se infiltra, se insinua em todos os gêneros literários e, ademais, em todas as formas de arte, seja numa letra de canção, num gesto teatral, numa pincelada, num ângulo de câmera etc.

Em termos específicos, se a poesia – como mercadoria comercial – não é um gênero que “vende” muito, no entanto, sua história e abrangência dão a ela um lugar de destaque. Os poetas são figuras emblemáticas do lugar e do tempo em que vivem. Como disse um poeta-crítico, os poetas são as antenas da raça; e outro parodiou, são as antenas da praça. Ou seja, a poesia capta um clima de época (raça) e milita pela transformação das coisas (praça).

Ainda mais pontualmente, a poesia tem sua importância por ser uma expressão artística que, lidando hegemonicamente com a palavra (pois há poemas apenas visuais, sonoros etc.), articula sentimento e pensamento, maneira e matéria, intuição e razão, de modo que forma e conteúdo se indissociam.

Embora ainda poetas e leitores tenham uma concepção muito romantizada e idealizada do que venha a ser poesia, o fato é que a poesia preserva sua importância porque ela é um lugar em que prevalece a surpresa: nem o poeta sabe bem a forma que sua ideia tomará no papel, nem tampouco o leitor sabe o que virá ao virar a página.

A poesia parece a expressão literária mais “democrática”: qualquer pessoa pode se aventurar a elaborar seus versos, e mesmo divulgá-los nas redes sociais. Assim, desde Homero, a poesia vai se metamorfoseando e se firmando como um poderoso meio e veículo para que as pessoas se envolvam com a forma artística, ampliando e depurando seus modos de sensibilidade e reflexão.

Por fim, a poesia dá prazer, surpreende, faz pensar, alegra e entristece, abala convicções. A poesia dá uma dimensão nova à vida de quem a toca.

Quais são os poemas que a gente deve ler para se iniciar nessa forma literária?

Não há resposta certa ou única para tal questão. Os poemas variam em complexidade formal, de assuntos, de técnicas, ao longo de séculos.

De todo modo, sugiro abaixo uma lista, entre clássicos e esquecidos, com apenas um poema de alguns poetas brasileiros. Gostando, o leitor pode e deve ler mais e mais poemas e livros daquele poeta.

1. Manuel Bandeira: “Libertinagem”

2. Carlos Drummond de Andrade: “A máquina do mundo”

3. João Cabral de Melo Neto: “Tecendo a manhã”

4. Cecília Meireles: “Gargalhada”

5. Augusto de Campos: “Luxo”

6. Gregório de Matos: “Pequei, Senhor, mas não porque hei pecado”

7. Paulo Leminski: “M, de memória”

8. Ana Cristina Cesar: “Primeira lição”

9. Ferreira Gullar: “Estrela”

10. Olavo Bilac: “Ora (direis) ouvir estrelas!”

11. Adélia Prado: “Com licença poética”

12. Cruz e Sousa: “Caveira”

13. Álvares de Azevedo: “É ela! É ela! É ela! É ela!”

14. Gilka Machado: “Ser mulher”

15. Castro Alves: “O adeus de Teresa”

16. Gonçalves Dias: “Canção do exílio”

17. Glauco Mattoso: “Do decoro parlamentar”

18. Mário de Andrade: “Meditação sobre o Tietê”

19. Leila Míccolis: “(H)Ojeriza”

20. Murilo Mendes: “Canção do exílio”

21. Vinicius de Moraes: “Soneto de intimidade”

22. Ricardo Aleixo: “Rondó da ronda noturna”

23. Elisa Lucinda: “Aviso da lua que menstrua”

24. Paulo Henriques Britto: “Horácio no Baixo”

25. Machado de Assis: “Suave mari magno”

26. Hilda Hilst: “A rainha careca”

27. Haroldo de Campos: “Servidão de passagem”

28. Waldo Motta: “Religião”

29. Oswald de Andrade: “Pronominais”

30. Jorge de Lima: “Essa negra Fulô”

31. Alphonsus de Guimaraens: “Ismália”

32. Augusto dos Anjos: “Versos íntimos”

33. Cacaso: “Jogos florais”

34. Cláudia Roquette-Pinto: “Sítio”

Além de Wilberth Salgueiro, fazem parte do primeiro módulo do 13º Viagem Literária os escritores Allan da Rosa, Bruna Beber, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Eliane Marques, Jonas Samaúma, Lubi Prates, Patrícia Meira, Pedro Marques, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão. 

O segundo módulo, "Contação de Histórias: Contos Populares", que acontece de 1º a 19 de março de 2021, percorrerá circuito semelhante.

Desde que o Viagem Literária começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Confira o roteiro de Wilberth Salgueiro:

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h 

16/11 - Indaiatuba - Biblioteca Rui Barbosa

17/11 - Itu - Biblioteca Prof. Cid Rocha

18/11 - Alumínio - Biblioteca Antônio Pereira Ignácio

26/11 - Itapevi - Biblioteca Monteiro Lobato

A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa estão no site do programa: www.viagemliteraria.org.br.

Ouvidoria Transparência SIC