/ governosp
Contação de Histórias: contos populares - Viagem Literária
Poesia: de 9 a 27 de novembro de 2020 | Contação de Histórias: outubro de 2021

Contação de Histórias: contos populares

Contadores mostram como as lendas e outros “causos” passam de geração para geração e formam parte importantíssima da nossa cultura popular
Créditos: Rogener Pavinski

Ademir Apparício Júnior

Com a contação de histórias, compreendemos todas as nossas necessidades humanas, conseguindo entender nossos sentimentos e lembrando que o outro também sente muito do que sentimos.

Ator-pesquisador, palhaço, contador de histórias, produtor criativo, arte-educador e mímico. Aprendeu a arte de contar histórias com Dolores, sua avó paterna. Formado em Gestão Cultural pelo Sesc São Paulo, diplomado em Mímica Total e Teatro Físico pelo Estúdio Luis Louis e em Arte Dramática pelo Senac de Ribeirão Preto. É sócio proprietário da empresa Apparício com 2P’s – Produções Artísticas, patrono da cadeira nº 19 da Academia Brasileira de Contadores de Histórias e membro da Rede Internacional de Contadores de Histórias.

Marque na Agenda
08.03 | Rosana • 9h e 14h
09.03 | Anhumas • 9h e 14h
10.03 | Parapuã • 9h e 14h
11.03 | Rancharia • 9h e 14h

Créditos: Fred Gustavo

Alicce Oliveira

Todos somos feitos de histórias. Em algum momento de nossas vidas, nos encontraremos com outras histórias que nos farão sentido e que poderão nos ajudar a compreender questões sobre a vida.

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso, iniciou a carreira de atriz em 1994 e, desde 2005, dedica-se à arte de contar histórias. Realiza oficinas e espetáculos em eventos culturais pelo Brasil e é idealizadora do III Encontro Nacional de Contadores de Histórias/MT. Em 2009, recebeu o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz, com o projeto Contos do Mato. Suas narrativas permeiam o universo lúdico dos objetos sonoros, música e histórias criam a atmosfera do ambiente ideal para uma viagem ao mundo do faz de conta. 

Marque na Agenda
08.03 | Garça • 9h e 14h
09.03 | Lençóis Paulista • 9h e 14h
10.03 | Jaú • 9h e 14h
11.03 | Ibaté • 9h e 14h

Créditos: Júlia Morita

Arô Ribeiro

O conto popular fortalece a identidade e une em valores e ideias a população. Trazendo nossa face à tona, que é desfocada por excessos de informação e outras culturas.

Ator, contador de histórias e fotógrafo. Em 1987, iniciou seus estudos no Teatro Escola Macunaíma, com Myriam Muniz, Roberto Lage e Erika Moura. Estudou butoh com Tadashi Endo, dança-teatro com Hiroshi Koike e teatro de objetos com o Grupo Sobrevento. Como narrador, trabalha com a temática da diversidade, apresentando-se em unidades do Sesc e em escolas públicas. Como ator, participou de montagens como Irã, A Pedra do Reino, Don Juan de Molière, Tio Vânia, entre outras. Desde 2014, participa da Cia. Brasilis Playback Theatre.

Marque na Agenda
08.03 | Mococa • 9h e 14h
09.03 | Santa Rita do Passa Quatro • 9h e 14h
10.03 | Santa Cruz das Palmeiras • 9h e 14h
11.03 | Espírito Santo do Pinhal • 9h e 14h

Créditos: Marcelo Fabiano

Camila Genaro

Contar contos populares é contar o Brasil, com essa imensidão de sotaques, cores e sabores. Estes contos nos colocam como protagonistas, no centro desse Universo das culturas populares.

Contadora de histórias, apresentadora de TV, educadora, influenciadora digital e patrona da 19ª cadeira da Academia Brasileira de Contadores de Histórias. Realiza apresentações em feiras, festivais e encontros de literatura oral. Em 2017, lançou seu primeiro livro, Muchaleca, o ET Sorridente. Foi vencedora do Prêmio Anita Garibaldi nas categorias Cultura de Paz e Incentivo à  Leitura, e ganhou o troféu Destaque do Dia do 7° Seminário A Arte de Contar Histórias.

Marque na Agenda
15.03 | Cananéia • 9h e 14h
16.03 | Ilha Comprida • 9h e 14h
17.03 | Itanhaém • 9h e 14h
18.03 | Cubatão • 9h e 14h

Créditos: Ná Magalhães

Cia. Bisclof

A transmissão dos contos populares é uma forma de trazer à tona a memória dos nossos antepassados, de preservar a nossa cultura, é uma maneira de reverenciar as nossas origens, mescladas por elementos africanos, indígenas e europeus.

Companhia fundada em 2015 pela atriz e contadora de histórias Adreísa Cangussú e pelo músico e arte-educador Ricardo Barison.  Surgiu do desejo de dialogar através da arte com públicos de todas as idades, utilizando linguagem lúdica, divertida e acessível. Realiza contações de histórias, intervenções artísticas, espetáculos e oficinas em unidades do Sesc, do Sesi, da Prefeitura de São Paulo e do Governo do Estado de São Paulo, viradas culturais, festivais literários, mostras culturais, entre outros eventos artísticos. 

Marque na Agenda
15.03 | Pereira Barreto • 9h e 14h
16.03 | Ilha Solteira • 9h e 14h
17.03 | Santa Fé do Sul • 9h e 14h
18.03 | Fernandópolis • 9h e 14h

Créditos: Cia, Ih, Contei!

Cia. Ih, Contei!

Acreditamos nas histórias como um registro da vida. A história nos caracteriza e nos representa como um povo. É do povo e para o povo que surgem os contos populares e seus personagens folclóricos.

Companhia fundada em 2012 dentro da favela do Turano, no Rio de Janeiro. Coordenada pelos artistas Leandro Pedro e Elton Pinheiro, a Ih, Contei! desenvolve projetos artísticos, educacionais e de difusão literária. Suas produções já foram realizadas em mais de 50 cidades do Brasil, em eventos culturais de grande relevância como Bienais do Livro (RJ e PR), Virada Sustentável (RJ), Viagem Literária (SP) e em programações do Sesc Rio de Janeiro. 

Marque na Agenda
15.03 | Ubarana • 9h e 14h
16.03 | Avanhandava • 9h e 14h
17.03 | Promissão • 9h e 14h
18.03 | Lins • 9h e 14h
19.03 | Cafelândia • 9h e 14h

Créditos: Miuara Rodrigues

Cia. Mapinguary

O conto popular conectado ao folclore, mostra toda a riqueza da cultura popular de um país, que contribui para a educação e formação de novas gerações.

Companhia criada em 2000 por Carlos Godoy, com a proposta de contação de histórias com narrativa oral cênica. Tem como fontes inspiradoras o folclore infantil, o teatro de bonecos e os contos populares do Brasil e do mundo. Em 2014, foi convidada para o Festival Internacional de Contadores de Histórias, na Colômbia. O grupo viaja pelo país, com espetáculos e oficinas, apresentando-se em bibliotecas públicas, escolas, instituições culturais, livrarias, feiras literárias, encontros de contadores de histórias e congressos. 

Marque na Agenda
01.03 | Tabapuã • 9h e 14h
02.03 | Catanduva • 9h e 14h
03.03 | Itajobi • 9h e 14h
04.03 | Borborema • 9h e 14h

Créditos: Gustavo Levine

Cia. Sá Totonha

O Brasil possui uma riqueza cultural imensa e a transmissão desses contos populares funcionam como espelhos onde nos reconhecemos e afirmamos nossa diversidade.

Fundada em meados de 2000 pelo pernambucano Márcio Maracajá, a companhia foi inspirada na personagem de José Lins do Rêgo, Negra Totonha, contadora de histórias que circulou no passado por vários povoados de Pernambuco e da Paraíba, levando histórias fantásticas. Em terras paulistas desde 2008, desenvolveu projetos com grupos de contadores ligados a editoras, livrarias e escolas. Partilha suas narrativas em unidades do Sesc, bibliotecas públicas, centros culturais, feiras de livro, ONGs e programas de incentivo à leitura, tal como o Viagem Literária. 

Marque na Agenda
08.03 | Junqueirópolis • 9h e 14h
09.03 | Adamantina • 9h e 14h
10.03 | Herculândia • 9h e 14h
11.03 | Marília • 9h e 14h

Créditos: Gustavo Andersen

Heidi Monezzi

Contar histórias aproxima as pessoas, desperta a imaginação, bem como trabalha aspectos importantes como a transmissão de valores e culturas diversas.

Atriz e contadora de histórias, graduada em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Campinas e pós-graduada pela Faculdade de Conchas. Estudou voz com Madalena Bernardes e Carlos Simioni, da Lume Teatro. É narradora de histórias desde 2011, apresentando-se na Casa Tombada, Casa da História, unidades do Sesc São Paulo, bibliotecas públicas, escolas, hospitais e empresas. Em 2019, participou do Viagem Literária (SP), Festival de Contadores de Histórias de Balneário Camboriú (SC) e Festival Nacional de Narração de Histórias (PR).

Marque na Agenda
08.03 | Ribeirão Corrente • 9h e 14h
09.03 | Colina • 9h e 14h
10.03 | Sertãozinho • 9h e14h
11.03 | Santa Rosa do Viterbo • 9h e 14h

Créditos: Ricardo Moura

Irene Tanabe

Além de auxiliar o emocional, contar histórias também contribui para a educação, inserindo palavras novas no vocabulário das pessoas, agregando valores morais, aumentando a concentração e criatividade.

Há mais de 15 anos se dedica à contação de histórias, oficinas, palestras e mediações de leitura. Já se apresentou em unidades do Sesc, empresas, livrarias, casas de cultura, feiras de livros, eventos e festivais literários em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Foi contemplada pelo Programa Nacional de Incentivo à Leitura da Fundação Biblioteca Nacional.

Marque na Agenda
15.03 | Indaiatuba • 9h e 14h
16.03 | Itu • 9h e 14h
17.03 | Alumínio • 9h e 14h
18.03 | Itapevi • 9h e 14h

Créditos: Fernando Valle

Kika Farias

A contação de histórias cria esse espaço de trazer o passado para o presente e os contos ajudam a enriquecer o repertório das crianças e adultos.

Pernambucana, atriz, contadora de histórias e produtora. Formou-se na Escola de Teatro Martins Penna e, desde 2003, realiza pesquisas nas artes cênicas e no âmbito da cultura popular. Em 2006, participou de uma residência artística com a Cia. Carroça de Mamulengos, em Juazeiro do Norte (CE), onde viu despertar seu desejo de ser contadora de histórias. Há mais de dez anos, iniciou no Rio de Janeiro sua carreira no cinema e na televisão. Atualmente, estuda Teatro na Faculdade Cesgranrio.

Marque na Agenda
01.03 | Limeira • 9h e 14h
02.03 | Itatiba • 9h e 14h
03.03 | Várzea Paulista • 9h e 14h
04.03 | São Paulo • 10h e 15h

Créditos: Fernanda Barban

Mandingueiras da Pracinha

Os contos populares nos aproximam, resgatam nossas raízes e nos dão de presente a possibilidade de sermos o futuro, aquele encarregado de dar continuidade a uma história.

Companhia formada pelas contadoras de histórias e professoras Camila Signorini e Paula de Castro, especialistas em arte-educação e capoeiristas pela Associação Refúgio Cultural Capoeira Angola. Apaixonadas pela arte e cultura popular, estudam brincadeiras, danças e ritmos percussivos desde 2014. Este dueto amarrou as saias e bebeu na fonte da literatura, oralidade e história brasileira para contar, cantar e encantar todas as pessoas que queiram fortalecer as rodas cheias de ginga e axé.

Marque na Agenda
15.03 | Barão de Antonina • 9h e 14h
16.03 | Fartura • 9h e 14h
17.03 | Pardinho • 9h e 14h
18.03 | Tatuí • 9h e 14h
19.03 | Itapetininga • 9h e 14h

Créditos: Renato Mangolin

Os Tapetes Contadores de Histórias

Contar histórias é importante porque necessitamos sentir que estamos vivos, aqui e agora, não apenas no sentido físico, mas existencial sobretudo.

Há 20 anos o grupo produz contações de histórias, espetáculos, oficinas e exposições interativas a fim de despertar o gosto do público pelas artes e leitura. Coordenado por Warley Goulart, costuram e se utilizam de tapetes, malas, aventais, caixas e livros de pano como cenários de contos autorais e populares. Referência internacional na pesquisa entre oralidade e artes plásticas, entre texto e têxtil, e manifestações plásticas que os povos criam como cenários para suas narrativas, o grupo já se apresentou e ministrou oficinas no Brasil e em outros 11 países.

Marque na Agenda
02.03 | São Bernardo do Campo • 9h e 14h
03.03 | Diadema • 9h e14h
04.03 | Cotia • 9h e 14h
05.03 | São Paulo • 10h e15h

Créditos: Arquivo pessoal

Sandra Guzmán

Contos populares brasileiros são amostras da nossa matriz cultural formada pelos povos indígenas, africanos, portugueses e tantos outros que aqui aportaram.

Contadora de histórias, brincante e mediadora de leitura. É graduada em Letras e especialista em Arte de Contar Histórias. Ministra oficinas de formação para educadores e bibliotecários que se dedicam à arte da palavra. Em 2020, foi referência em narração de contos populares no material didático para o Ensino Fundamental, desenvolvido pela Eleva Educação. Apresenta projetos de narração de histórias em bibliotecas paulistas e, desde 2017, produz conteúdos sobre esta temática para o seu canal no YouTube - Sandra Guzman Narração de Histórias.

Marque na Agenda
01.03 | Ilhabela • 9h e 14h
02.03 | Jacareí • 9h e 14h
03.03 | Biritiba-Mirim • 9h e 14h
04.03 | Mogi das Cruzes • 9h e 14h

Créditos: Lucas Rachinski

Vinícius Mazzon

Apesar da importância do mundo virtual, todos ainda sentimos a necessidade de encontro, de contato, e a contação de histórias é um momento privilegiado para isso.

Formado em Artes Cênicas, desde 2009 cria espetáculos de contação de histórias apoiados em estudos e vivências com a cultura popular brasileira. Aliando a narração de contos com a divulgação literária, desenvolve programas de incentivo à leitura em escolas públicas do Paraná. Participa dos principais eventos na área da narração oral no Brasil, sendo convidado para o Encontro Internacional Boca do Céu de Contadores de Histórias, Encontro de Contadores de Histórias de Londrina, Simpósio Nacional de Contadores de Histórias e Encontro Mundial da Invenção Literária.

Marque na Agenda
01.03 | Votuporanga • 9h e 14h
02.03 | Buritama • 9h e 14h
03.03 | Birigui • 9h e 14h
04.03 | Penápolis • 9h e 14h

Ouvidoria Transparência SIC