Na terça-feira, 18, o Seminário Biblioteca Viva discutiu sobre mediação de leitura. Um dos primeiro temas foi de vulnerabilidade social. Para Marta Bruno, da Organização Social Santa Marcelina, o desafio é “como integrar as pessoas sem condições financeiras no espaço público. Temos que mudar o olhar e ao invés de achar um problema, pensar em alternativas “.

A parte da tarde foi reservada para uma palestra com Luis Hererra, diretor das Bibliotecas Públicas de São Francisco. Ele disse que mesmo com empresas como o Facebook, Twitter e Google a poucas quadras de distância da biblioteca principal da cidade, muitas cidadãos ainda não vivem no mundo digital. “Eles não tem acesso ao rico Vale do Silício”. Ele acredita que o papel das bibliotecas é transformar as comunidades e por isso é necessário criar novas formas de atuação. Uma delas é emprestar laptops para os usuários; obviamente as bibliotecas também emprestam livros. “Os computadores são o item de maior circulação nas nossas bibliotecas. Isso só se tornou possível porquê a cidade tem um imposto único destinado para o setor”, comentou.

Em seguida, a palestra foi com Ezequiel Theodoro da Silva, da Unicamp. A fala tirou o público da área de conforto e lembrou sobre o grave problema de analfabetismo que ainda assola o país: cerca de 13 milhões de pessoas não sabem ler e escrever. “Temos uma política caolha e manca neste sentido. O quadro para enfraquecer a leitura no país é vasto e não é obra do divino e sim do sistema político que precisa destes analfabetos”. Ele também comentou sobre a baixa taxa de leitura dos brasileiros e dos problemas de ensino, tanto no viés do professor – que ganha pouco-, como pelos alunos, que não compreendem os conteúdos.

O fechamento do dia foi feita a palestra do poeta e escritor Fabrício Carpinejar, que fez uma divertida exposição para os participantes. Ele comentou sobre relacionamentos, sexos e amor. “Tu não lê para ter certezas e sim para criar dúvidas”, finalizou. Na sequência, a apresentação dos painéis com as experiências de bibliotecas públicas no Brasil.